7 Coisas que você só aprende viajando - Nica por aí

7 Coisas que você só aprende viajando

  • quinta-feira, dezembro 10, 2020
  • By Nicole Regiane
  • 0 Comments

58% dos brasileiros colocaram viagens como meta para 2021

Chegou aquela época do ano que todos estamos fazendo planos e, 2020 foi tão desafiador e nos trouxe o isolamento social que a vontade de viajar se tornou segundo a Worldpackers, plataforma que conecta anfitriões e viajantes interessados em trocar habilidades por hospedagem, 58% dos brasileiros pretendem viajar entre março e dezembro de 2021. A preferência será por viagens longas, sendo a prática do inglês a principal motivação.

A vacina contra o COVID-19, já começou a ser aplicada no Reino Unido e encheu a todos de esperança em poder concretizar o sonho de conhecer outros países. Mas sempre bate aquela sensação de será que eu estou realmente preparado?

Quantas pessoas, principalmente quando envolvem países com o idioma diferente do seu próprio país, tem como primeiro pensamento ao pisar em terras diferentes - O que estou fazendo aqui e para que eu vim até aqui- essa forma de raciocinar acontece com muitos indivíduos. Perceber que dá conta do recado em se comunicar em um novo idioma, conseguir pedir uma refeição e/ou entender sobre os pontos turísticos da cidade vem com o tempo e são apenas algumas coisas que aprendemos ao sair da nossa zona de conforto.

"Se você parar para conversar com pessoas que já viveram a experiência de sair do país, com toda certeza ela vai ter uma história engraçada, ou uma situação inusitada que passou! Além da nova língua, há cultura e novos costumes!" evidência Leiza Oliveira, CEO do Grupo Minds Idiomas e Minds Travel.

Pensando nesse cenário, a CEO Leiza Oliveira, fez uma lista 7 coisas que você só aprende viajando:

1) Ler TUDO que a descrição do hotel/hostel/passagem disponibiliza

Quantas vezes compramos eletroeletrônicos e/ou outros itens e não lemos os manuais? A verdade é que a preguiça "bate" e sempre achamos que nunca será necessário, e muitas vezes temos a "sorte"de realmente não precisar dessa leitura. Todavia, o ruim desse hábito é quando levamos ele nas viagens e nos deparamos com situações que poderiam ser evitadas se tivéssemos lido tudo, de verdade, dos hostels, hotéis, passagens, e etc. Acontecimentos como: o local da hospedagem aceitar apenas dinheiro em espécie (e não termos na nossa carteira porque ainda não fomos nas lojas de câmbio), conexões que podem levar muitas horas ( e não nos atentarmos a esse detalhe no momento da compra do ticket aéreo), não ter lido as avaliações de outras pessoas e nos depararmos com um local de hospedagem muito quente e sem ar condicionado ( porque não lemos as experiências dos outros usuários e/ou que não havia ar condicionado e nem ventilador), entre outras situações. Ler avaliações sobre o hotel/meio de transporte pode te livrar de acontecimentos desagradáveis futuros.


2) Saber quanto "vale" a moeda do país que optou

Esse ponto pode ser o mais complicado para nós, brasileiros. Não tivemos educação financeira na escola, como disciplina obrigatória, e ao viajar podemos ficar confusos no momento de converter o real para a moeda do país que iremos estudar/viajar. Uma dica é estudar sobre a moeda antes tendo uma média de quanto ela vale frente ao real. Há alguns sites que fazem a conversão do quanto vale 1 Real frente a 1 Peso Argentino (Por exemplo). Faça as conversões, compare algumas casas de câmbio no Brasil por um período de pelo menos 2 semanas, e caso não compense trocar no Brasil deixe a maior quantia para "cambiar" no país visitado. Mas lembre-se de levar uma quantia da moeda do país destino daqui do Brasil - Emergências acontecem- e podem acontecer no trajeto e/ou na chegada ao destino.


3) Trocar dinheiro em espécie em locais confiáveis e com boas cotações

Sacar dinheiro fora do país tem taxas altas cobradas pelas instituições financeiras e por isso, o ideal, é na viagem usar dinheiro efetivo, cartão de crédito (Cheque com a instituição como funciona a conversão antes de optar), e/ou cartão pré-pago muito comum de serem adquiridos nas casas de câmbio no Brasil. Para dinheiro em espécie fuja de realizar o câmbio em Aeroportos/Buquebus/Navios/Rodoviárias, pois esses locais tendem a ter taxas mais altas. Leia as experiências de outros viajantes e opte por casas de câmbio com boa reputação.


4) Atenção com a internet nos Smartphones e Computadores

Todos(a) queremos viajar e ter acesso a internet. Seja para usar o Google Maps, fazer postagens nas redes sociais, reservar hotéis e/ou trabalhar, viajar é sinônimo de ter uma boa internet para facilitar a nossa vida. Não deixe para pesquisar como funciona a internet no país onde vai visitar apenas quando chegar lá. Cheque se compensa adquirir um chip do local e/ou fechar com a sua própria operadora no Brasil um pacote de dados para o exterior. Faça uma boa pesquisa de valores e como é o funcionamento da internet no país. Não confie apenas no WI-FI dos hotéis/hostel/pousadas para não passar " apertos".


5) Tenha uma boa "nuvem" para arquivar as suas fotos da viagem

Seja o seu celular com tecnologia IOS ou Android lembre-se de manter atualizada a sua nuvem. Caso seja necessário acessá-la diariamente para mantê-la ativa, faça isso todos os dias. Imprevistos acontecem e você não quer perder as imagens da sua viagem dos sonhos não é mesmo?!


6) Cuidado com os meios de transporte muito baratos

Sabe aquele ditado - O barato sai caro? - então, ele vale muito no caso dos meios de transporte. Muitas vezes uma passagem, seja área ,terrestre ou fluvial, está muito em conta, porém envolve muitas horas no trajeto e/ou outras restrições. Por isso, fique atento(a) as especificações e lembre-se sempre de respeitar os seus limites físicos. Os trajetos entres países e outras cidades podem ser tão cansativos que você pode não conseguir aproveitar bem o local visitado. Opte por pernoitar nos locais e pondere no momento da escolha.

7) Você ficará mais calmo(a) e criativo(a)

Quatro dias em contato com a natureza deixam o indivíduo mais tranquilo e com mais criatividade em resolver conflitos. Isso foi comprovado por 2 pesquisas desenvolvidas pelos professores de psicologia (Ruth Atchley da Universidade do Kansas e David Strayer da Universidade de Utah), e um grupo de cientistas do Japão, Coréia e Finlândia. Ou seja, ao retornar ao trabalho você estará mais calmo e com insights melhores para executar as suas atividades. Isso será bom para você, para empresa e para quem convive com você!

Sobre a Minds Travel

A Minds Travel surge em 2011 e faz parte do grupo Minds Idiomas que tem mais de 70 escolas de inglês no Brasil. Uma agência, que surgiu da necessidade de se fazer um intercâmbio, e que hoje vai muito além: oferecendo viagens para turismo, pacotes especiais para quem viaja sozinho(a) e dicas de lugares. Possuímos o melhor time de profissionais experientes, para prestar consultoria e planejamento, promovendo assim, as melhores vivências e a realização de sonhos. Acesse o nosso site: https://mindstravel.com.br

Gostou do post? Nos conte nos comentários e compartilhe com os amigos. Nos acompanhe nas redes sociais:

Me chamo Nicole. Nasci em Brasília, mas morei 6 anos em Ottawa no Canadá. Já tive o prazer de conhecer mais de 90 lugares e 13 países. E foi essa minha paixão por culturas novas que me levaram a começar a compartilhar as minhas aventuras na internet.

You Might Also Like

0 comentários